março 20 2018 0Comentário

Os Significados da Páscoa

Os Significados da Páscoa,

A Páscoa cristã celebra a ressurreição de Jesus Cristo. É o dia santo mais importante da religião cristã. Muitos costumes ligados ao período pascal originam-se dos festivais pagãos da primavera.

A festa tradicional associa a imagem do coelho, um símbolo de fertilidade, e ovos pintados com cores brilhantes, representando a luz solar, dados como presentes.

    Ovos de Páscoa pintados representam a fertilidade das deusas lunares

De fato, para entender o significado da Páscoa cristã atual, é necessário voltar para a Idade Média e lembrar os antigos povos pagãos europeus que, nesta época do ano, homenageavam Ostera, ou Esther – em inglês, Easter quer dizer Páscoa.

Ostera (ou Ostara) é a deusa da Primavera, que segura um ovo em sua mão e observa um coelho(ou Lebre), símbolo da fertilidade, pulando alegremente em redor de seus pés nus.

Outros vêm da celebração do Pessach, ou Passover, a Páscoa judaica, que é uma das mais importantes festas do calendário judaico, celebrada por 8 dias e onde é comemorado o êxodo dos israelitas do Egito, da escravidão para a liberdade. Um ritual de passagem, assim como a “passagem” de Cristo, da morte para a vida.

Ostara -Cultos pagãos que deram origem a Páscoa,

entre os costumes pintar ovos e o símbolo era a lebre e não o coelho

 

Portanto, este costume é uma alusão a antigos rituais pagãos. Ishtar ou Astarte é a deusa da fertilidade e do renascimento na mitologia anglo-saxã, na mitologia nórdica e mitologia germânica.

A primavera, lebres e ovos pintados com runas eram os símbolos da fertilidade e renovação a ela associados. A lebre (e não o coelho)(tempo de gestação da Lebre 40 dias – número sagrado – por isso a Lebre) era seu símbolo. Suas sacerdotisas eram ditas capazes de prever o futuro observando as entranhas de uma lebre sacrificada.

A lebre de Eostre pode ser vista na Lua cheia e, portanto, era naturalmente associada à Lua e às deusas lunares da fertilidade. De seus cultos pagãos originou-se a Páscoa (Easter, em inglês e Ostern em alemão), que foi absorvida e misturada pelas comemorações judaico-cristãs.

Os antigos povos nórdicos comemoravam o festival de Eostre no dia 30 de Março. Eostre ou Ostera (no alemão mais antigo) significa “a Deusa da Aurora” (ou, novamente, o planeta Vênus). É uma deusa anglo-saxã, teutônica, da Primavera, da Ressurreição e do Renascimento. Ela deu nome ao Shabbat Pagão, que celebra o renascimento chamado de Ostara.

 

O Chocolate ou Tchocolath

O cacau é conhecido por ser o fruto que dá origem ao chocolate. É consumido em todo o mundo.

O que poucos sabem é que o cacau já era consumido e venerado pelos povos Maias e Astecas, há vários séculos.

O cacau era cultivado pelos índios, Astecas, no México e os Maias na América Central. Era um alimento muito importante e de grande valor para estes povos que o consideravam um alimento dos deuses

De acordo com os historiadores, o cacaueiro, (árvore que dá origem ao fruto cacau ) era considerado sagrado. Segundo a mitologia Asteca, o Deus da Lua, roubou uma árvore de cacau, da terra dos filhos do Sol, para ofertar aos  homens, com chocolate. É neste sentido, que se chama ao cacau o “manjar dos deuses”.

 

A descoberta do Cacau

Conta a história que em 1519, os espanhóis, invadiram o México, sob a chefia de Hernán Cortez. Na sua “visita” ao México repararam que os astecas ofereciam aos deuses e bebiam eles próprios, bebidas escuras e desconhecidas. Eles chamavam de cacahuatl o fruto da árvore, e de tchocolath a bebida feita com ele. Consideravam as sementes de cacau tão valiosas que as usavam como moeda.

 

Envolva-se em toda esta Magia e aproveite as Energias do Período !

 

Feliz Páscoa

 

A Joalheria Alternativa indica peças para esta passagem!

 

 

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário